Ministério da Cidadania, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro,
Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS apresentam:

Ted Sarandos é o opening keynote do Rio2C 2019


O opening keynote da edição de 2019 do Rio2C foi Ted Sarandos. O Chief Content Officer da Netflix conversou com Wagner Moura na Grande Sala da Cidade das Artes, para um público de mais de mil pessoas. A conversa girou em torno do audiovisual brasileiro, que cada vez ganha mais espaço no exterior, principalmente através de plataformas como a Netflix.

“É uma hora muito interessante para termos essa conversa. Nossa indústria audiovisual está passando por um momento muito complicado e é incrível como a Netflix está investindo no país", afirmou o ator.

Sarandos elogiou o trabalho de Wagner na série “Narcos” e afirmou que considera sua interpretação de Pablo Escobar um dos melhores arcos de personagens da história. "A série tem um storytelling muito bem feito. Então a barreira da linguagem simplesmente se dissolveu". 

O CCO também adiantou a próxima parceria entre o canal e o ator. “Acabamos de produzir o longa ‘Sérgio’, sobre a vida do diplomata Sérgio Vieira de Mello, assassinado durante uma missão no Iraque. Sempre quis apresentar personagens latinos que não sigam estereótipos e consegui vender essa ideia para a Netflix”, explicou Wagner. O ator também elogiou a forma de trabalho com o canal. “Eles dão muita liberdade criativa para os artistas,  uma coisa que não acontece nos estúdios americanos. Geralmente, eles querem nos direcionar por um caminho que eles acreditam, a Netflix tem outra postura: se te contrataram, eles querem que você desenvolva da sua forma.”

A empresa começou seu serviço no Brasil em 2011. Em 2016 foi lançada "3%", primeira produção brasileira original Netflix, que chegou a ser a série de língua não-inglesa mais assistida dos Estados Unidos, e primeiro programa local em português. E os planos da empresa para o Brasil continuam com números bastante expressivos. “O Brasil tem talentos extraordinários e uma longa tradição em contar grandes histórias. É por este motivo que estamos animados em aumentar nosso investimento na comunidade criativa brasileira. Temos atualmente 30 projetos, em vários estágios de produção em diferentes locais espalhados pelo país, que serão feitos no Brasil e consumidos pelo mundo”, disse Sarandos.

"Começamos como uma empresa que fazia DVDs, passamos por serviço de streaming de vídeos. Há sete anos fizemos nossa primeira serie oficial, "House of Cards". Depois streaming internacional, e então produções internacionais, filmando nos idiomas locais, em diferentes países. Grande parte do meu trabalho é sentar na minha sala com grandes contadores de historias e selecionar grandes histórias", completou.

Ministério da Cidadania, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro,
Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS apresentam:

patrocinadores

fique conectado