Sonho, sono e criatividade em debate no BrainSpace

No dia 24 de abril, o BrainSpace do Rio2C será palco da palestra “Sonho, sono e criatividade”, com Sidarta Ribeiro. Vice-diretor do Instituto do Cérebro da UFRN, ele vai falar sobre a importância do sono e dos sonhos para a criatividade e a sobrevivência.

Como você começou a se interessar pelo estudo do sono?
Quando comecei o doutorado em Nova York era janeiro e nevava sem parar. Tive dificuldades de adaptação e experimentei um período de intensa sonolência que durou todo o inverno. Quando chegou a primavera me encontrei muito adaptado e percebi que o sono e os sonhos excessivos daquele período tinham me preparado para os desafios do doutorado. Resolvi estudar os mecanismos neurais responsáveis por essa adaptação e desde então nunca mais parei de pesquisar o assunto.

Quais as funções do sono? 
O sono tem muitas funções importantes, como a conservação de energia, a regulação hormonal, a reposição de biomoléculas, a detoxificação cerebral, a consolidação e o esquecimento de memórias, bem como sua transformação criativa em ideias novas.

Como o sono está relacionado com a formação de memória?
Através da reverberação elétrica de memórias e de seu processamento a nível molecular, que envolve a regulação de diversos genes. 

As memórias se consolidam apenas quando estamos dormindo? 
Não, mas a consolidação realizada durante a vigília sofre a ação interferente de uma multiplicidade de estímulos. 

Qual a relação do sono com o aprendizado?
É uma relação íntima, pois o sono é benéfico tanto antes de aprender quanto depois. No primeiro caso, o sono prepara o cérebro para aprender com mais eficiência. No segundo caso, facilita a consolidação seletiva de memórias.

Qual a função dos sonhos? Ela é a mesma para pessoas e animais?
Provavelmente a função original dos sonhos foi a simulação de futuros possíveis para orientar a ação durante a vigília no dia seguinte. Essa função de 'Oráculo Probabilístico' deve existir em todos os mamíferos, mas no caso do sonho humano existem uma dimensão adicional muito relevante, que é a existência da cultura e seus símbolos. Há estudos demonstrando que sonhar com a realização de uma determinada tarefa aumenta o desempenho nessa tarefa.

Como são realizadas as pesquisas no Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte?
Nossas pesquisas utilizam métodos comportamentais, eletrofisiológicos e moleculares para investigar os mecanismos responsáveis pelas diferentes funções cognitivas do sono e dos sonhos. As pesquisas são realizadas em modelos animais como ratos e polvos, mas também com pessoas que se voluntariam para vir ao laboratório sonhar com eletrodos na cabeça.

O que o estudo do sono pode trazer de melhoria para a vida das pessoas?
O sono, a alimentação e o exercício físico são a base de uma vida saudável. O sono de qualidade está associado a inúmeros benefícios de saúde física e mental, com ganhos no processamento emocional e no funcionamento cognitivo.

GARANTA SEU INGRESSO!

De 3 a 8 de abril de 2018 na Cidade das Artes, Rio de Janeiro

COMPRAR INGRESSO